a morte inventada - ensaios e vozes

Organização - Daniela Vitorino e Alan Minas
Editora Saraiva - 2014

A dinâmica na relação familiar durante a disputa pela convivência de um filho, sobretudo quando os envolvidos se encontram em conflito, muitas vezes em um processo de separação, representa um período de bastante apreensão. Em alguns casos, o excessivo desgaste entre os pais pode deixar marcas indeléveis. A criança, figura central nesse embate, seguramente é a que por mais tempo levará consigo essa questão, como um sinal. Indesejável herança.

O livro amplia a reflexão sobre a Alienação Parental, estende um novo olhar sobre a infância e fomenta novas perspectivas para a família e toda a sociedade. Abrange o campo do direito, da psicologia, do serviço social, e avança em uma abordagem pioneira e sutil que o assunto merece e necessita.  

A potencialidade da obra está em reunir 20 depoimentos de pessoas envolvidas nesse conflito e 20 ensaios de pensadores ligados ao Direito de Família e das mais variadas áreas da sociedade. Os depoimentos foram extraídos do site do filme A Morte Inventada – Alienação Parental,   www.amorteinventada.com.br que desde outubro de 2008 disponibiliza um espaço para essas publicações. A diversidade dos autores na comunhão da mesma questão representa um novo momento em que a sociedade se reconhece no tema. Envolvem a todos, em efeitos, causas, e soluções.

Os autores são: Andréa Pachá - Almir Ribeiro - Beatriz Wey - Bia Bedran - Caetano Lagrasta - Cristine Jacquet -  Gildo Alves de Carvalho Filho - Jailson da Souza Silva  - Katia Maciel - Lia Diskin - Maria Berenice Dias - Maria Luiza Valente -  Martha Mendonça - Melissa Telles - Monja Coen - Ninfa Parreiras - Raquel Pacheco Ribeiro - Ricardo Zamariola - Sandra Baccara – Thalita Faria Machado.

Capa -Rafael Barros Escobar – Iluminura: Martha Barros

Teaser

https://www.facebook.com/amorte.inventada